Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Exercício e convívio marcaram a Caminhada Comunitária, uma das iniciativas que a Médicos do Mundo organizou para marcar Maio - Mês do Coração e que, na manhã do passado dia 21, juntou 31 pessoas, incluindo dois agentes da PSP e dois voluntários.

 

O ponto de encontro da Caminhada Comunitária foi o Mercado Alfacinha, de onde os participantes partiram, pelas 10h, rumo ao Parque da Bela Vista. A um pequeno percurso realizado neste espaço seguiu-se uma aula/sessão de Tai-chi.

 

No final desta actividade de participação gratuita, cada interveniente recebeu um kit constituído por uma revista institucional “FACE”, uma maçã, uma garrafa de água e uma lembrança alusiva ao dia, produzida no atelier de trabalhos manuais com os idosos do projecto Saber Viver.

 

Sessões de informação sobre saúde e rastreios, com ênfase nas doenças cardiovasculares e colesterol, alimentação e tensão arterial, stress e benefícios da acunpuntura, para além de exercício físico e avaliação do Índice de Massa Corporal (IMC), foram algumas das outras actividades que a Médicos do Mundo promoveu ao longo do mês dedicado ao Coração.

 

Foi uma manhã de exercício saudável quer pela caminhada, quer pelo convívio proporcionado entre os participantes.

 

A Médicos do Mundo agradece a todos que participaram na Caminhada Comunitária.

 

7.JPG

Crédito foto: ©Catarina Névoa

 

18.JPG

Crédito foto: ©Catarina Névoa

 

 Veja aqui todas as fotos na nossa página Facebook.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:58

A parceria com as ONG's do Sul, a segurança dos que prestam e recebem cuidados de saúde e a acção inadequada dos países face à actual crise migratória são as três áreas prioritárias que a Rede Internacional da Médicos do Mundo leva à Conferência Humanitária Mundial (CHM). O evento organizado pelas Nações Unidas decorre até hoje em Istambul, Turquia.

 

A Rede Internacional da Médicos do Mundo (MdM) participa na CHM que se está realizar desde ontem, em Istambul. Françoise Sivignon, Presidente da Rede Internacional da MdM, em nome de todas as ONG's internacionais, apresenta hoje, na sessão de encerramento, as recomendações e compromissos destas organizações. 

 

A intervenção tem lugar entre as 16h30/17h (hora de Lisboa), no Harbiye Auditorium e conta com transmissão online em: http://www.worldhumanitariansummit.org/live#unwebtv-linking (Canal 1). 

 

O painel em que participa a MdM tem moderação de Jan Eliasson, Vice-Secretário-Geral das Nações Unidas e conta com a presença de representantes dos governos, da sociedade civil e do sector privado.

 

As ONG's do Sul recebem apenas 1% dos fundos humanitários. O apoio a estas organizações é um dos temas da intervenção da MdM que defende, para uma prática humanitária equilibrada, o fortalecimento da capacidade das ONG's do Sul por parte dos actores do "Norte" e da sociedade civil na resposta a situações de emergência.

 

Ao longo dos últimos 30 anos a Médicos do Mundo tem cooperado com os actores locais, os quais estão sobretudo preocupados com as crises humanitárias e são frequentemente os primeiros a responder. São actores cruciais e indispensáveis devido ao seu conhecimento do contexto local. Segundo Françoise Sivignon, "o desafio está em mobilizar todos os actores e trabalhar com as ONG's do Sul; o princípio de intervir sem fronteiras também se aplica à nossa forma de operar. Sem uma transformação radical da relação entre ONG's, Nações Unidas e doadores, o mundo não será capaz de lidar com futuras crises. Na CHM participam 125 ONG's do "Norte" e 375 do "Sul", o que significa um grande progresso".

 

 

Garantir a segurança dos que disponibilizam e recebem cuidados de saúde

 

Os recentes bombardeamentos de civis e infra-estruturas de cuidados de saúde em Aleppo (Síria) ou no Iémen demonstram os riscos associados ao trabalho humanitário. O acesso às vítimas, às infra-estruturas de cuidados de saúde e a deslocação de assistência são cada vez mais difíceis. A CHM dá a oportunidade de reiterar o apelo à protecção das infra-estruturas de cuidados de saúde, ao pessoal médico e às vítimas. "O trabalho humanitário no mundo actual é uma ocupação perigosa. A resolução recente do Conselho de Segurança das Nações Unidas relativamente à protecção dos hospitais é um primeiro passo mas as infra-estruturas de saúde devem ser protegidas de forma urgente, para que possamos trabalhar com segurança. A lei humanitária internacional deve ser respeitada", sublinha a Presidente da Rede Internacional da MdM.

 

 

Acção inadequada dos países face à crise migratória

 

Em 2016, 125 milhões de pessoas necessitam de ajuda humanitária. O número de pessoas deslocadas e refugiadas praticamente duplicou na última década, actualmente 60 milhões, o que revela a extensão da crise causada pela falta de resoluções políticas.

 

A CHM decorre na Turquia, um país que hoje recebe a maior população de refugiados no mundo, mais de 3 milhões de pessoas. "A Turquia é um local altamente simbólico e será onde se joga o futuro de uma determinada abordagem à ajuda humanitária. O acordo UE-Turquia é um acordo vergonhoso. A Europa deve avançar com uma solução política corajosa e colectiva para o fluxo de migrantes", conclui Françoise Sivignon.

 

A CHM representa uma oportunidade de influenciar o futuro da acção da humanitária. Mas os Estados devem também assumir as suas responsabilidades. A Médicos do Mundo apela aos países para irem mais longe, a apresentar as suas intenções e a comprometerem-se com respostas políticas concretas.

 

A cobertura contínua e as reacções sobre a CHM podem ser acompanhadas no Twitter, através das seguintes contas:

 

Françoise Sivignon, Presidente da Rede Internacional da Médicos do Mundo
https://twitter.com/FSivignon ou @FSivignon

 

Jean Saslawsky, Secretário-Geral da Rede Internacional da Médicos do Mundo
https://twitter.com/JSaslawsky ou @JSaslawsky

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:24

Dia Mundial da Tuberculose assinalado em Loures

por Médicos do Mundo, em 24.03.16

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Tuberculose. Além dos cuidados de saúde que a Unidade Móvel normalmente presta no Bairro do Zambujal/CAR, a equipa vai distribuir um flyer informativo sobre o que é a tuberculose, como se transmite e trata e como pode ser prevenida.

 

O flyer vai ser distribuído na Unidade Móvel aos utentes e técnicos que habitualmente levantam medicamentos para os utentes e uma equipa da MdM vai percorrer a pé o bairro distribuindo o flyer aos moradores e deixando-o nas instalações de parceiros e associações do bairro.

 

“Faz todo o sentido abordar esta temática face às condições em que algumas pessoas vivem no bairro do Zambujal, onde muitas casas têm condições de habitabilidade muito precárias”, diz Carla Fernandes, Directora de Projectos Lisboa e Sul.

 

Flyr TB 2003.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:06

Projecto: "Menos Tuberculose Porto"

por Médicos do Mundo, em 21.03.16

O projecto "Menos Tuberculose Porto" vai ser apresentado amanhã, dia 22 de Março, no Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto. A apresentação insere-se no âmbito das celebrações do Dia Mundial da Tuberculose, a 24 de Março.

 

Durante a sessão vão ser abordados temas como a história da tuberculose na cidade do Porto, a relação entre a tuberculose e as populações vulneráveis e os doentes com infecção pelo VIH e a importância do trabalho multidisciplinar na abordagem das populações vulneráveis, entre outros.

 

Consulte abaixo o programa:

 

22_programa5.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:26

Recolha de medicamentos com balanço positivo

por Médicos do Mundo, em 15.03.16

No dia 27 de Fevereiro membros da equipa e voluntários da Médicos do Mundo estiveram presentes numa campanha de recolha de medicamentos no âmbito da VIII Jornada Anual de Recolha de Medicamentos do Banco Farmacêutico.

Nas quatro farmácias onde estivemos presentes, em Lisboa e no Porto, foram doadas à Médicos do Mundo 275 embalagens de medicamentos. Estes medicamentos doados são essenciais para permitir à MdM distribuir gratuitamente medicamentos a quem não os pode comprar, sejam beneficiários directos dos projectos da Associação ou instituições que façam chegar os seus pedidos.

Agradecemos às farmácias envolvidas nesta iniciativa (Farmácia Sacoor Chiado, Farmácia Pinhais da Foz, Farmácia Barreiros, Farmácia Gaia Jardim) e a todos os voluntários que nos ajudaram na acção de recolha. Também deixamos o nosso muito obrigada a todos os que apoiaram a Médicos do Mundo doando estes medicamentos.

Este ano, participaram na Jornada Anual de Recolha de Medicamentos do Banco Farmacêutico 166 farmácias, nas quais foram recolhidos 10,5 mil medicamentos, com o apoio de 600 voluntários. Estes medicamentos vão beneficiar cerca de 93 mil pessoas através de 90 instituições, uma das quais a MdM.

 

Banco framaceutico_Chiado.jpg

Equipa da MdM na farmácia Sacoor Chiado

Crédito: Arquivo MdM



 



 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:07

Balanço do Dia do Preservativo

por Médicos do Mundo, em 18.02.16

A sessão de esclarecimento que a Médicos do Mundo realizou no passado dia 12 de Fevereiro junto dos idosos do projecto Saber Viver, para assinalar o Dia Internacional do Preservativo, foi “esclarecedora e divertida”, nas palavras de uma das idosas presentes.

Os cerca de dez idosos que participaram apreciaram especialmente o dinamismo com que a enfermeira Joana Tavares conduziu a apresentação sobre a história do preservativo. Depois de várias curiosidades sobre como a utilização do preservativo evoluiu ao longo dos tempos, a enfermeira focou o tema do VIH/SIDA. Explicou que há cada vez mais casos de VIH identificados entre a população sénior e deixou claro que “a única maneira de ter a certeza é fazendo o teste”. A Médicos do Mundo está disponível para fazer o teste, de forma gratuita e confidencial, a qualquer idoso que queira fazê-lo, acrescentou.

De seguida, Joana Tavares e a técnica de serviço social, Rita Mendes, mostraram aos presentes alguns preservativos masculinos e femininos, explicando a sua forma de utilização.

Foi uma sessão dinâmica e interactiva, onde os idosos partilharam quais os métodos contraceptivos mais usados antigamente e que permitiu perceber que nem todos os idosos detinham um bom conhecimento sobre o tema do preservativo. Como referiram os idosos presentes, além de divertida, a sessão permitiu a transmissão de conhecimentos úteis, inclusive para ajudá-los a esclarecer os mais novos, por exemplo, os netos.   

No projecto Saúde Móvel, que presta cuidados de saúde primários à população vulnerável da cidade de Lisboa com recurso a uma Unidade Móvel, a equipa da Médicos do Mundo fez-se acompanhar ao longo de toda a semana que antecedeu o Dia do Preservativo (dia 13/02) com uma mascote e uma cronologia sobre a história do preservativo. Deste modo, foi possível chamar a atenção das pessoas que recorreram à Unidade Móvel sobre a importância do uso do preservativo na prevenção das infecções sexualmente transmissíveis e a sua evolução ao longo da história. A par da informação a equipa disponibilizou preservativos masculinos e femininos e gel lubrificante.

Como o preservativo é um marco importante na prevenção das IST – Infecções Sexualmente Transmissíveis, e como tal um instrumento fundamental para preservar a saúde, a Médicos do Mundo faz questão de assinalar a data. Na Representação Norte a equipa fê-lo fazendo-se fotografar junto de vários preservativos.

 

PORTUGAL- Lisboa-6.jpg

Foto: Alexandre Costa

 

PORTUGAL- Lisboa-15.jpg

Foto: Alexandre Costa

 

PORTUGAL- Lisboa-4.jpg

Foto: Alexandre Costa

mascote.jpg

Foto: Arquivo MdM

IMG_3061.JPG

 Foto: Arquivo MdM

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:50

A Médicos do Mundo (MdM) agradece a todos os que deixaram o seu contributo na caixa de donativos existente no Aeroporto de Lisboa e que resultou, até ao momento, na angariação de 966,41 euros. Se vai viajar este Natal, não deixe também de fazer o seu check-in solidário com a MdM.

 

Ajude a Médicos do Mundo a continuar a levar cuidados de saúde a quem mais precisa. Este Natal, antes de iniciar a sua viagem, deixe o seu contributo na “seringa gigante” da MdM, no Aeroporto de Lisboa.

 

A caixa de donativos localiza-se na área de Partidas do Terminal 1, no percurso entre a Praça Lisboa e o controle de passaportes.

 

Qualquer contributo pode fazer a diferença. Obrigada e boa viagem!

 

16820339_fwUzL.jpeg

 Crédito foto: Arquivo MdM

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36

Seis meses depois dos terramotos de 25 de Abril e 12 de maio que atingiram o Nepal, provocando a morte a 8 mil pessoas e ferindo outras 22 mil, a Médicos do Mundo (MdM) implementou um sistema de clínicas móveis, tendo já realizado 13 mil consultas. A situação humanitária continua a ser preocupante com os desafios da reconstrução e o Inverno que se aproxima.

 

"A vida ainda não voltou ao normal no Nepal. As pessoas continuam a viver com dificuldades, pois a maioria ainda não conseguiu reconstruir as suas casas. E as infra-estruturas de assistência médica continuam a ser muito insuficientes”, explica a presidente da Delegação Francesa da MdM. "A reconstrução irá demorar anos”, acrescenta.

 

A devastação deixada pelos terramotos é imensa. Mais de 90% das infra-estruturas de saúde foram destruídas no Distrito de Sindhupalchock e a chegada de ajuda torna-se ainda mais complicada devido aos desafios logísticos de trabalhar neste país montanhoso. A retoma das actividades está a ser dificultada por um clima económico e político muitas vezes tenso: a recente escassez de combustíveis impediu as deslocações, já complexas em tempos normais.

 

As pessoas sofrem principalmente de doenças de pele e de perturbações digestivas causadas pela falta de água potável e saneamento. Segundo Françoise Sivignon, “prevê-se um Inverno rigoroso, o que é preocupante. Para ultrapassar este facto, os nepaleses precisam de melhorar o acesso a água potável e a abrigos melhor adaptados. Sem estas condições, o impacto na saúde das pessoas será desastroso e as infecções respiratórias vão aumentar”.

 

Procurando manter o acesso aos cuidados de saúde, a MdM está focada na reabilitação do sistema de saúde. As equipas da organização estão a construir 13 centros de saúde semi-permanentes, para ficarem no local durante cinco anos, e a dar formação em preparação epidémica e primeiros socorros às comunidades nepalesas e aos trabalhadores de saúde.

 

O Inverno também potencia o stress pós-traumático, tão prevalente desde os terramotos, resultando no abuso do álcool e no aumento da violência doméstica. “Para atenuar esta situação, os nepaleses devem poder desempenhar um papel activo na reconstrução do seu país”, conclui Françoise Sivignon.

 

Foto_Nepal.JPG

Crédito foto: ©Olivier Papegnies/Collectif Huma

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

Inscreva-se na V CorridaSolidária da Médicos do Mundo

por Médicos do Mundo, em 29.10.15

Escolas, empresas, autarquias, associações, instituições e todas as pessoas interessadas poderão participar na V CorridaSolidária, um projecto que visa promover a reflexão sobre “Educação para a Cidadania Global” e angariar fundos para apoiar as populações mais vulneráveis, através de projectos da Médicos do Mundo (MdM). Inscreva-se aqui e participe nesta iniciativa.

 

Podem ser organizadas corridas, marchas, caminhadas - ou outra qualquer actividade de carácter desportivo ou solidário -, promovendo através desses momentos a reflexão sobre o tema da edição. O lançamento oficial do projeto terá lugar a 7 de Abril de 2016, Dia Mundial da Saúde, mas as atividades podem ser realizadas até ao encerramento do ano lectivo 2015/2016.

 

Vídeo sobre a V CorridaSolidária da Médicos do Mundo

 

Os fundos angariados com o projecto “CorridaSolidária” destinam-se a ajudar a MdM a continuar a sua missão de prestar cuidados de saúde básicos e gratuitos às populações que mais precisam.

 

Para saber mais sobre a iniciativa consulte a informação no site da Médicos do Mundo: V Corrida Solidária e projecto Corrida Solidária.

 

Também poderá contactar directamente a MdM, através do telefone 213 619 526, do 96 209 58 12 ou do endereço de correio electrónico vcorridasolidaria@medicosdomundo.pt.

 

Porque juntos podemos fazer a diferença, contamos consigo! Inscreva-se!

 

MDM_V_CORRIDA_SOLIDARIA_20150803-05_Quadrado.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:05

A Médicos do Mundo (MDM) participou no 3º Encontro “Conhecimento e Cooperação” que decorreu no final de Setembro, no Auditório da Torre do Tombo, em Lisboa. “Médicos do Mundo: o trabalho, nacional e internacional, em prol do Desenvolvimento na área da Saúde” foi o tema da intervenção realizada pelo Dr. Fernando Vasco, Vice-Presidente da MdM, no âmbito da iniciativa.

 

Organizado pela Direcção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas (INA), o Encontro “Conhecimento e Cooperação”, cujas primeiras edições ocorreram em 2011 e 2013, teve como objectivo reforçar as capacidades das pessoas e das organizações que se dedicam à gestão e execução de programas e projectos no âmbito da Cooperação para o Desenvolvimento.

 

A iniciativa, que contou com 20 apresentações de várias organizações (aceda aqui às apresentações), pretendeu ser um espaço de partilha de experiências e de informação entre Organizações Não Governamentais para o Desenvolvimento (ONGD), empresas, autarquias, organismos da Administração Pública e peritos, para além de outros intervenientes.

 

Presentes estiveram formandos e formadores dos cursos da área da Cooperação e Desenvolvimento do INA, assim como participantes em seminários, ciclos de conferências e outras iniciativas organizadas pelo INA, consultores, peritos e organizações que se dedicam à execução de programas e projectos de ajuda ao desenvolvimento e sociedade civil, assim como de interessados por estas temáticas.

 

Assista ao vídeo “Mood” sobre a Médicos do Mundo, apresentado no evento no âmbito da participação do Vice-Presidente da MdM:

 

 

INA_2_Web.jpg

3º Encontro “Conhecimento e Cooperação”
Crédito foto: ©INA

 

INA_3_Web.jpg

Intervenção do Dr. Fernando Vasco, Vice-Presidente da MdM
Crédito foto: ©INA 

 

INA_1_Web.jpg

 Intervenção do Dr. Fernando Vasco, Vice-Presidente da MdM
Crédito foto: ©INA

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:35


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D