Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




De origem belga, este fotógrafo profissional de 35 anos decidiu colocar o seu dom também ao serviço de uma associação sem fins lucrativos e nasce aqui a relação com a nossa ONG. Não tardou muito, partiu à descoberta do Sri Lanka, realizando uma reportagem sobre os seis meses de trabalho de MdM naquele país. Daqui resultaram a publicação de um livro temático e ainda algumas exposições. Desde então, também já esteve ao serviço de MdM nos projectos internacionais radicados na Guiné-Bissau , sendo ainda frequente o seu périplo pelos projectos lusitanos. Trabalhando com MdM a pro bono, Fabrice expõe a sua opinião acerca do trabalho em regime de voluntariado:

“o dinheiro é uma ferramenta essencial na vida. Não poderia viver nem dar de comer aos meus dois filhos se trabalhasse voluntariamente a tempo inteiro. No entanto, o dinheiro não é tudo...Podemos sempre comparar-nos com aqueles que mais têm e tentar ter mais do que eles. Pessoalmente, acho que esta postura leva sempre à infelicidade. Pode até alcançar-se um certo conforto material, mas existe sempre o risco de a pessoa se acostumar a este conforto e querer mais ainda. Quem vive para o dinheiro passa ao lado da vida. Por outro lado, também podemos comparar-nos com aqueles que menos têm e estender a mão. Cada um de nós pode ajudar à sua maneira. Fazendo um donativo, oferecendo algumas horas da sua vida; eu escolhi emprestar a minha máquina fotográfica de vez em quando. A riqueza do Mundo prende-se com os sorrisos, as lágrimas (também!), os encontros, as trocas de experiências…”. O repórter fotográfico afiança também que teve já a sorte de viver experiências totalmente opostas, tendo “comido em restaurantes ‘estrelados’ e noutros onde a casa de banho era dentro da cozinha, sem portas, e com tachos ao lado da sanita" (um buraco no chão). Já dormi nos melhores hotéis, mas também numa cama dupla com mais dois homens, numa casa sem água nem electricidade. Claro que este tipo de vida, em parte graças à Médicos do Mundo, muda a visão que temos sobre o que nos rodeia”.

 

É com bastante honra e respeito que a Médicos do Mundo enaltece o profissionalismo, disponibilidade, carinho, responsabilidade social e cidadania activa deste nosso voluntário. Certamente que, sem a colaboração de Fabrice Demoulin, o espólio fotográfico da nossa Associação teria muito menos cor, vida e impacto, o qual é fulcral em todas as nossas acções de Comunicação & Visibilidade. 

Obrigado por tudo, Fabrice!

 

Conheça também melhor o trabalho deste exímio profissional nos links facultados de seguida: FacebookYoutube e Website

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:49


1 comentário

Sem imagem de perfil

De José Rasquinho a 26.06.2012 às 13:08

Um grande abraço para o Fabrice.
O Mundo pode mudar-se com acçõe, não com palavras!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D