Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Haloterapia utiliza sal no tratamento de doenças

por Médicos do Mundo, em 16.07.14

 

 

Ao longo dos últimos 15 anos foi indispensável o apoio de diversas organizações, sem o qual a missão da Médicos do Mundo teria sido ainda mais difícil. Neste mês em que se assinala o aniversário da Associação estabelecemos mais uma parceria, desta vez com o Centro de Terapias Naturais Halocare, pioneiro na introdução em Portugal da Haloterapia ou terapia pela acção do Sal. Fique atento às novidades em breve.

 

A Halocare – Terapias Naturais é um Centro de Terapias Naturais que fornece serviços de valor e qualidade reconhecidos nas áreas da saúde e bem-estar, através de terapeutas credenciados nas suas áreas de actividade. Disponibiliza diferentes valências, como Naturopatia, Homeopatia, Fitoterapia, Acupunctura, Massagens, Reflexologia Podal, Drenagem Linfática Manual, Osteopatia, Terapia Sacro Craniana, Terapia de Bowen, Nutrição ou Terapia Alimentar, Psicologia e Yoga. 

 

Outra das especialidades deste centro é a Haloterapia (do grego “halo” que significa “sal”), em que é pioneiro na introdução em Portugal da sua terceira geração. Uma especialidade que utiliza os benefícios do sal no alívio de diversas patologias dos pulmões, doenças respiratórias e da pele, assim como de problemas de saúde mental.

 

Como surgiu a Haloterapia?

A utilização moderna da Haloterapia foi iniciada em 1843, quando o médico polaco Feliks Boczkowski descobriu que o ambiente das minas de sal tinha um efeito terapêutico sobre as doenças respiratórias e que os mineiros da mina de sal de Wieliczka, perto de Cracóvia, não sofriam dos problemas respiratórios como a restante população.

 

Estas observações levaram à instalação de uma sala de tratamento na mina polaca. Foram depois abertos diversos sanatórios para asmáticos em grutas de sal em diferentes países europeus que registaram resultados positivos. Por ser realizado em grutas naturais este tratamento foi denominado de espeleoterapia. Posteriormente os médicos decidiram criar espaços que reproduzissem a atmosfera salina das grutas, dando origem à terceira geração da Haloterapia.

 

 Pacientes em tratamento em mina de sal na Rússia

Espeleoterapia – 1ª geração da Haloterapia

 

Como funciona?

As sessões de Haloterapia têm uma duração de 40 minutos. Os pacientes estão sentados confortavelmente numa sala com paredes, tecto e chão cobertos de diversas camadas de sal-gema. O ambiente é de grande tranquilidade com recurso a música calma e iluminação suave.

 

Através de um orifício existente na parede é então emitida uma brisa composta de micropartículas de sal farmacologicamente tratado. Esta brisa é controlada por um equipamento denominado de halogerador, o qual também adapta as condições da sala aos sintomas a tratar. 

 

Gruta de sal da Halocare

Quais os benefícios?

A Haloterapia é especialmente recomendada e eficaz no alívio das seguintes patologias:

 

• Pulmões e doenças respiratórias: asma, bronquite crónica, rinite, sinusite, amigdalite, faringite, tosse de fumadores, fibrose cística, enfisema, doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), otite média, tosse com e sem expectoração, febre do feno, infecções virais repetitivas e alergias.

• Pele: dermatose, eczema, psoríase e acne.

• Saúde mental: stress, fadiga, insónia, ansiedade, instabilidade nervosa e depressão.

 

Para além destes benefícios, a Haloterapia permite reduzir ou evitar o recurso a medicamentos à base de cortisona, corticosteróides e anti-histamínicos, entre outros que, além de mais caros, produzem efeitos secundários nocivos, habituação e resistência do organismo. Ao deixarem gradualmente de fazer efeito, estes medicamentos vão sendo substituídos por outros, normalmente mais agressivos.

 

Pode ainda ser utilizada como um tratamento preventivo de constipações comuns, gripes e outros problemas do foro respiratório.

 

Sistema respiratório

Quais as funções?

As principais funções da Haloterapia são:

 

• Limpar o muco das vias respiratórias, removendo a obstrução do fluxo de ar

• Melhorar o mecanismo de depuração dos mucos (em indivíduos asmáticos ou saudáveis)

• Ajudar a equilibrar o líquido das vias respiratórias

• Reduzir a reactividade brônquica

• Melhorar a função pulmonar e o desempenho do sistema respiratório

• Ajudar a limpar as partículas inaladas indesejadas alojadas nos pulmões

• Fortalecimento do sistema imunitário, reduzindo as reacções alérgicas aos pólenes

• Ajudar a limpar as impurezas da pele

• Aliviar determinadas irritações da pele, como a psoríase e os eczemas

• Ajudar a suavizar e amaciar a pele, além de incentivar a sua renovação

• Melhorar a qualidade do sono e reduzir as insónias

• Aliviar os problemas de stress, depressão, instabilidade nervosa e fadiga

 

Quais as contra-indicações?

Apesar de natural, a Haloterapia não é indicada para quem sofre de algumas das doenças seguintes:

 

• Insuficiência Cardíaca

• Hipertensão em estágio IIB (sistólica muito alta ou sistólica/diastólica desregulada)

• Doenças oncológicas (em tratamento utilizando quimioterapia ou radioterapia)

• Anemia severa (hemoglobina abaixo de 9 g/dL)

• Expectoração de sangue (hemoptise)

• Hemorragias internas (perda de sangue nas fezes)

• Úlceras gástricas hemorrágicas

• Tuberculose e pneumonia

• Intoxicação

• Infecções acompanhadas de febre

 

A Haloterapia não apresenta contra-indicações para os diabéticos ou para quem sofre de problemas de tiróide.

 

Quantas sessões são recomendadas?

Logo após a primeira sessão podem ser observadas melhorias mas, como cada caso é diferente e depende da gravidade, para atingir resultados duradouros é recomendada a realização de um conjunto de tratamentos. De acordo com a experiência, os especialistas recomendam:

 

Para casos crónicos do foro respiratório e dermatológico, tais como asma, bronquite, sinusite, alergias fortes e psoríase: 12 a 25 sessões num intervalo de 4 a 8 semanas, devendo as primeiras sessões ser efectuadas com um intervalo máximo de 2 a 3 dias.

Para problemas moderados, tais como resfriados, constipações, gripes, infecções dos ouvidos, ou outros desconfortos respiratórios tais como alergias ligeiras, devem ser realizadas 3 a 8 sessões num intervalo de 1 a 2 semanas.

 

A eficácia da Haloterapia é maior quando são realizadas 2 sessões por semana. Após a fase inicial de tratamentos, o intervalo entre sessões pode ser superior. Cabe ao paciente interpretar a necessidade de uma maior ou menor regularidade das sessões.

 

Qual a idade aconselhada?

Todas as idades são indicadas para a Haloterapia, desde os 6 meses de idade. Existem resultados muito positivos para o sistema respiratório em bebés com menos de 1 ano de idade.

 

Reconhecimento da Haloterapia

A Haloterapia cumpre a directiva europeia CE93/42EEC, que regula a actividade deste tipo de terapias naturais. No Reino Unido foi reconhecida pelo Ministério da Saúde, tornando-se o sistema preferencial da medicina convencional no tratamento de doenças do foro respiratório, tais como asma e rinite.

 

Testemunhos de pacientes após várias sessões de Haloterapia

 

“O meu filho, de 19 meses, tinha bronquiolites constantes, tomava anti-histamínicos e anti-alergénicos. Tive conhecimento desta terapia e decidi experimentar. Na noite seguinte ao primeiro tratamento consegui finalmente descansar, após diversas noites em que não conseguia dormir mais de 3 horas seguidas, foi fantástico! Continuei os tratamentos e atualmente o meu filho deixou de tomar os medicamentos, eu e o meu marido dormimos a noite completa e estamos descansados que ele não tem mais aqueles ataques respiratórios que nos deixavam em pânico…”

(Vanda Ribeiro, mãe do Miguel)

 

“A minha filha (4 anos) fazia medicação diária por causa das alergias, este ano desde que iniciou a Haloterapia suspendeu toda a medicação.”

(Lurdes Ferreira)

 

“Desde que o meu filho André, de 3 anos, experimentou esta terapia os efeitos foram muito positivos. Quem sofre de asma... Experimentem!!!”

(Sara Dias)

 

“Eu sofro de alergia aos pólenes, soube deste tratamento e encontrei a HALOCARE… Experimentei e tive melhorias significativas. Agora é raro ter necessidade de tomar aqueles medicamentos que me deixavam sonolenta o dia todo.”

(Amália Lourenço, 50 anos)

 

“Fui aconselhado pelo meu alergologista a experimentar a Haloterapia porque constantemente tinha que mudar de medicação. No início realizei sessões regularmente e agora só faço como prevenção. Respiro como nunca respirei antes!”

(António Vasconcelos, 45 anos)

 

“Tenho sinusite desde muito nova, costumo ter alguma dificuldade em respirar, experimentei e de facto melhorei imenso. Este ano já estive constipada e depois de fazer 3 sessões de Haloterapia fiquei bem, sem recorrer a medicamentos.”

(Isabel Fernandes, 67 anos)

 

 

Halocare- Centro de Terapias Naturais

Travessa Henrique Cardoso, 69A

1700-227 Lisboa

Tel. 217 580 693

Tlm. 926 344 625/968 231 115

E-Mail: geral@halocare.pt

www.halocare.pt

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:59



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D